Menu

[SAIU NA GRINGA] Comentando os Quadrinhos da Semana!

Olha só quem está entre nós novamente! Sim, senhoras e senhores, após mais de um ano sem uma nova edição, e após pedidos pelo retorno feitos no formulário de aniversário do Central HQ’s, a coluna de lançamentos semanais de quadrinhos americanos está de volta! E em grande estilo, pois estamos novamente em um ótimo período criativo de Comics. Agora vamos deixar de enrolação e ir direto ao ponto.

Doomsday Clock #2

Autores: Geoff Jhons & Gary Frank;

Comentários:

“Estamos divididos entre a nostalgia do familiar e um impulso pelo desconhecido. Mais do que nunca, não somos mais confortáveis ​​pelos lugares que nunca conhecemos.” – Carson McCullers.

Esta citação resume de forma perfeita o que acontece nesta que é uma edição bastante curiosa da saga. Após o primeiro número que é uma história com clima totalmente ambientado no universo de Watchman, aqui começamos a vislumbrar a mistura dos dois universos. Até mesmo em quesitos de narrativa, pois vemos pela primeira vez uma história super heroica envolvendo os personagens do Alan Moore.

O concelho que eu dou para quem for começar a ler esta saga, é que não esperem um novo Watchman, pois estamos falando da maior HQ já feita em todos os tempos, e fazer uma história do mesmo nível é uma missão muito complicada. Ir com esta expectativa talvez lhes frustem  ao ler como foi que o Jhons trabalhou a união dos dois universos. Este conselho é válido principalmente para vocês que criaram diversas teorias que muito provavelmente seriam melhores do que o que aconteceu aqui.

É uma segunda edição, logo não esperem respostas. Muito pelo contrário, ela trás mais perguntas ainda.

Isso não significa que a edição é ruim, muito longe disso, o Jhons continua trabalhando muito bem o dialogo entre os personagens, e o Gary Frank dá um show de arte e narrativa, neste que com certeza vai ser o trabalho mais marcante de sua carreira.

NOTA: 4/5

Batman: Creature of the Night Book One 

Autores: Kurt Busiek & John Paul Leon;

Comentários:

Que criança não gostaria de ser o Batman?

Ok, este não é um lançamento desta semana, mas como não li muita coisa nela, peguei alguns de semanas anteriores para encher linguiça (Aqui é sinceridade), porém, não vi quase ninguém falando sobre ele, então creio que será válido o comentário acerca deste baita lançamento da DC Comics que certamente está vivendo sua fase áurea novamente.

Como visto acima, a história é escrita por ninguém menos que Kurt Buseik, autor de histórias “fraquinhas” como Marvels, Astro City e Superman Identidade Secreta. Com o currículo que este camarada tem, e a liberdade que DC Comics deu, não tem como não ir com sede ao pote ao ler esta HQ.

E olha que o Buseik não decepciona nem um pouco, entrega uma história com um roteiro fantástico, e trabalha muito bem a mitologia do homem morcego nos flertes que ele dá entre a história do menino Bruce Wainwright e os clássicos contos do Bruce Wayne (Como Batman Ano Um). Seria injusto não falar da arte do  John Paul Leon, que entrega uma dinâmica narrativa sob um traço confortável aos olhos que deixa a história muito fluída.

Aos que desconfiam, sim, a proposta da história é ter exatamente a mesma premissa de Superman: Identidade Secreta, inclusive ela foi anunciada e vem sendo produzida desde 2010. Resta torcer que a Panini traga este material ao Brasil o mais rápido possível. E cá pra nós, se eles trouxeram O Cavalerio das Trevas III com uma pequena diferença de meses, não seria nada de mais dar uma forcinha para fazer o mesmo com este título que é  infinitamente melhor.

NOTA: 4,5/5

Batman: Creature of the Night Book Two

Autores: Kurt Busiek & John Paul Leon;

Comentários:

Aqui temos a continuação do material comentado logo acima, que foi lançada no mercado americano nesta quarta feira. Esqueci de avisar que esta mini-série é dividida em quatro partes, cada uma com cerca de 50 páginas.

O título não só matem seu alto nível como eleva sua qualidade expandindo o trabalho acerca da mitologia do Batman. Nesta caminhada, Creature of the Night, dá largos passos para ser não só mais uma história do Cavaleiro das Trevas, e sim mais um clássico do Homem Morcego, que estou tendo a honra de presenciar em lançamento.

NOTA: 4,7/5

DC Especial de Fim de Ano

Autores: Jeff Lemire, Denny O’Neil, Mairghread Scott, Tom King, Joshua Williamson, Priest, Dan Didio, Shea Fontana, Scott Bryan Wilson, Greg Rucka, Mike Friedrich, Steve Epting, Francesco Francavilla, Neil Googe, Matthew Clark, Otto Schmidt, Nic Klein, Bilquis Evely, Giuseppe Camuncoli, Phil Hester, Tom Grummett & Neal Adams;

Comentários:

Comentar este laçamento é um dos maiores prazeres que tenho, pois sou fã destas publicações especiais que fogem do convencional. Principalmente quando elas são recheadas por uma caralhada de mestres dos quadrinhos como vocês puderam ler acima.

Não tem muito o que falar sobre este especial não, tendo em vista que sua principal premissa é ser um compilado de histórias descompromissadas do universo DC, ambientadas no fim do ano, repleto de  artistas renomados do mercado. É algo que para mim é tão tradicional quanto especial do Roberto Carlos, acho até que a Warner Animation deveria investir em programas de fim de ano assim, para passar em seus canais de TV a cabo, ou no novo serviço de Streaming que está por vir.

Eu sou super a favor que especiais assim saiam no Brasil, mas infelizmente sabemos que nosso calendário de publicação não bate com o dos Estados Unidos, e nossa distribuição também não é nem um pouco parecida com a de lá.

NOTA: 3/5

James Bond: Service 

Autores:  Kieron Gillen & Antonio Fuso;

Comentários:

Sou fã assumido da franquia de 007, herdei isso do meu pai. Quando vi que o autor do excelente The Wicked + The Divine iria escrever um One-Shot para a Dynamite, fiquei ansiosíssimo para conferir o material, mas infelizmente acabei perdendo a data do lançamento e vim ler o material com um pouquinho de atraso (Foi lançada em Maio).

Os artistas deste título da Dynamite parecem ser selecionados a dedo, pois todos eles tem um estilo de ação muito parecido, técnicas de desenho muito boas, e um traço muito bem trabalhado. Não é diferente com o Antonio Fuso, que faz deste o maior atrativo do One-Shot. Porém confesso que fiquei um pouco decepcionado com os roteiros do Gillen. Não que sejam ruins, mas pelo nome do autor eu espera uma coisa um pouco mais diferente, bem melhor para falar a verdade, e aqui ele entrega cerca de 30 páginas de uma história genérica do agente com o roteiro mais plastificado possível, chega até a ser bobo.

Mas de qualquer forma, esta é uma HQ divertida, e com arte esplendidamente bem feita, o que vem depois disso é lucro.

NOTA: 3,2/5 

Deadpool/Homem Aranha #25

Autores: Robbie Thompson & Chris Bachalo;

Comentários:

Eu gostava bastante deste título, inclusive fique muito triste quando soube que iriam cancelar ele, mas acabou que “apenas” mudaram a equipe criativa. Ano passado por estas épocas, eu estava muito empolgado com o que tinha lido na edição 12 (A do Natal com o Papai Noel doidão), inclusive procurem esta que para mim é a melhor já feita no título.

Por mais que a nova equipe criativa não venha me agradando tanto, ainda venho dando chance ao título com esperanças de que ele volte ao alto nível que tinha outrora.

Porém, por mais que continue um pouco divertida, a HQ não tem mais aquele espirito do começo do título, principalmente devido a recentes decisões da equipe criativa. É uma edição OK, não acrescenta nada de mais a quem a lê, e para entende-la deve-se ler as duas anteriores. Ela passa bem longe do nível das boas histórias já feitas na revista.

Só para informar, esta é a terceira edição da saga Deadpool Vs Homem Aranha.

NOTA: 2,8/5

Ramon Vitor
Nerd, cinéfilo e um estudioso da música. Este é Ramon.