Menu

Coleção Definitiva Homem-Aranha: A Saga do Traje Alienígena

Falar sobre essa fase do Aranha é um extremo prazer, sem dúvida alguma temos aqui nesse encadernado da Salvat uma das fases mais incríveis e emblemáticas da Marvel Comics. Sem dúvida o apogeu da cronologia aracnídea com um Peter num período pós colégio, porém, num período pré casamento. Peter trabalhando como “freelancer” no Clarim, tendo abandonado os estudos(magoando muito sua tia May), namorando com a Gata Negra e vivendo aventuras insuperáveis. Aqueles momentos que você sofre com o personagem e também vibra com sua trajetória…Nos anos 80 tínhamos um verdadeiro Parker, muito diferente do Peter de hoje, não pelo fato de ter ficado rico, não, mas por ser um personagem sem identidade, que não vibramos em momento algum, o Peter Parker de hoje é apenas uma marca, uma sombra daquilo que já foi.

A Saga do Traje Alienígena tem início logo após Guerras Secretas, o Homem-Aranha no planeta do Beyonder adquiri um estranho traje que ele julgava ser inofensivo e altamente moderno, haja vista o uniforme ter capacidades espetaculares. A Saga começa logo quando os heróis retornam a Terra e Peter começa a levar sua vida e organizar problemas pendentes tais como seu relacionamento com a Gata Negra(nessa época ela tinha acabado de ganhar poderes e Peter não sabia). A primeira história é escrita por Roger Stern e Tom DeFalco, a propósito a capa dessa edição é histórica pois era o início de uma nova era, um herói de grande escalão nunca havia mudado de uniforme antes e exatamente por ser uma edição histórica ela faz referência a Amazing Fantasy 15, a primeira história do Aranha…Comparem as duas capas.

No decorrer do encadernado os roteiros ficam por conta de DeFalco(um dos melhores roteiristas do Aranha) e a arte fica basicamente por conta Ron Frenz e Rick Leonardi. Conforme o leitor vai percebendo, o traje é muito mais do que uma simples roupa e vilões vão sendo inseridos na trama, Rosa, Halloween e a  estréia do Puma.

No meio dessas aventuras a vida pessoal de Parker está um caos, sua tia está muito chateada com ele devido ao abandono de Parker aos estudos, seu relacionamento amoroso com a Gata está caótico pois ela ama o Homem-Aranha mas não consegue sequer vê-lo sem a máscara. E como se tudo isso não fosse o bastante o traje alienígena o domina durante a noite impedindo o rapaz de descansar, acontece que Peter não sabe que isso acontece e em momentos de alta fadiga o pobre Aranha chega a dormir o dia inteiro e acordar ainda cansado.

A ideia de um traje que domina a vida de Peter e claro seu visual é altamente empolgante e vale muito a leitura, mas tem um fator negativo quanto a publicação, a Salvat lançou essa fase mas acabou cortando muita coisa pois haviam duas revistas regulares nessa época e a Salvat lançou apenas as histórias inseridas em The Amazing Spider-Man e muitas referências acabam passando, a Salvat poderia ter lançado essa fase em duas partes pois muitas coisas importantes acabaram ficando de fora. No encadernado gringo essa fase vem completinha, inclusive esse material pode ser encontrado no site da Amazon.

Pois é galera, se encontrarem esse encadernado na banca peguem sem medo, aliás, a próxima edição trará o Nascimento de Venom que é uma consequência direta dessa saga. O encadernado contém as histórias publicadas originalmente em The Amazing Spider-Man 252-259.

Apaixonado por hqs dos anos 70 e 80, e acredita piamente que homem aranha e x-men voltarão a ser quadrinhos de ponta...
  • Anderson Silva

    Olá Arthur, muito legal sua resenha. Também sou fã do aranha e de HQs no geral, me lembro dessa fase quando fui acompanhando pelo formatinhos da editora abril, achava incrível a ideia do uniforme “vivo” e quando surgiu o Venom então…..nossa foi fantástico, ficava até sem fôlego quando ele aparecia nas histórias, porque o sentido de aranha não detectava ele e também por ele ter todas as informações do Peter (dadas pelo simbionte). Abraço.

    • arthur vergian

      cara…suas palavras são as minhas…me lembro de ler aqueles formatinhos e sentir esse mesmo sentimento…essa fase realmente é incrível, e parece que pra nós que lemos naquela época se torna mais mágica ainda…abração anderson e que bom que tu curtiu a resenha.