Menu

BATMAN-CAVALEIRO BRANCO

2017 está sendo um ano espetacular para o Homem-Morcego, além da fase espetacular da HQ mensal com os roteiros de Tom King, e também a revista Detective Comics, a DC lança uma nova série chamada White Knight(Cavaleiro Branco). Escrita e desenhada por Sean Murphy que dá ao título uma atmosfera muito interessante tanto na arte sombria e até mesmo noir quanto nos roteiros carregados de melancolia, densidade e o principal, o fator político. Os embates do momento da direita contra esquerda, os direitos humanos contra a rigidez social. Algo muito influenciado por Frank Miller, provando, se é que precisa provar que o Batman dele é atemporal e supremo.

A primeira edição começa um ano no futuro onde curiosamente o Batman está preso no Arkham e o próprio Coringa agora sem maquiagem e aparentemente lúcido chega no Batmóvel e faz uma visita ao morcego pedindo sua ajuda!!!

Mas espere…O Coringa lúcido e Batman preso? Sim. A trama então parte ao presente e após uma perseguição implacável o Batman consegue capturar o Coringa que estava foragido, após uma surra descomunal o morcego obriga o vilão a tomar um pote de comprimidos que o próprio Coringa portava. O curioso é que o vilão disse ao Batman que se tomasse aquele remédio ele melhoraria, não seria mais insano e poderia ajudar a consertar Gotham.

O vilão quase morre mas ao melhorar tudo indica que o Coringa está totalmente lúcido e não aceita mais ser chamado de Coringa mas sim pelo nome de Jack Napier, o argumento dele é que todas as suas ações não podem ser consideradas pois se tratava de uma mente doente, todavia, agora ele estava são e queria mudar as coisas, ajudar a salvar Gotham. Coringa exige a prisão de Batman, chantageando a polícia caso eles não cumpram com o pedido, e com uma série de ações legais e brechas do sistema ele realmente pode conseguir isso.

Algo nítido nesse universo é o estado mental de Bruce Wayne, fato percebido por Robin e Batgirl,  Batman se comporta como um homem extremamente impetuoso e violento, e até mesmo se aliando a antigos adversários para tentar curar seu grande amigo Alfred que está à beira da morte. Batman está aparentemente cansado de todos os anos de combate ao crime e dos resultados que o sistema gera, vilões de alta periculosidade são detidos por ele e logo depois eles fogem e fogem novamente, a desculpa dos defensores sociais e direitos humanos é que eles são na verdade vítimas, e diante disso o próprio herói que salva vidas é denominado pelo sistema como um fora da lei.

O Coringa tem grandes planos em mente, e agora não mais como o vilão psicopata mas sim como um civil curado ele fará de tudo para derrubar o Batman, para isso terá um público dividido, alguns do lado dele, acreditando que o Batman é um ser perigoso que deve ser detido e que o Coringa não passava de uma vítima da sociedade doente causada por um vigilante noturno, outros defendem piamente o herói dizendo que ele se sacrificou por Gotham e não fosse ele a cidade já teria sido destruída por psicopatas como o Coringa.

A série começou muito bem e se manter esse ritmo tem tudo para ser um grande clássico do Cavaleiro das Trevas.

Apaixonado por hqs dos anos 70 e 80, e acredita piamente que homem aranha e x-men voltarão a ser quadrinhos de ponta...