Menu

Pantera Negra-Uma Nação Sob Nossos Pés Livro Um

Em primeiro lugar, o que temos aqui não é um mero encadernado de super-heróis, é um pouco mais que isso, trata-se de uma viagem intrigante e inteligente sobre o universo de T’Challa o Pantera Negra. Com um escritor incrível mas que é marinheiro de primeira viagem nas HQs e um desenhista ultra experiente, embarcamos em uma narrativa que é muito difícil de se ver.

Ta-Nehisi Coates e Brian Stelfreeze nos brindam com uma das melhores histórias do Pantera Negra. Estamos acostumados a ver o Pantera como membro dos Vingadores ou qualquer outra equipe, mas nesse encadernado vemos Wakanda de forma muito detalhada, em outras sagas do Pantera Negra sempre é mostrada o país mas sempre de forma superficial, porém dessa vez vemos Wakanda de forma jamais vista, passamos por cidades, por culturas, por povos, por rebeliões, por personagens, tudo dentro do mesmo país. Fora as citações geográficas e filosóficas inseridas de forma naturais na história.

Outro ponto interessante é a abordagem política na trama, que quando usada de forma sutil e inteligente deixa a história ainda mais gostosa de se ler. Na trama Ta-Nehisi explora algo pertinente ao povo de Wakanda, esse não é um país comum, pelo contrário, Wakanda é o país cientificamente mais avançado do mundo e também um lugar praticamente impossível de ser dominado (tirando pesos pesados como Namor e Thanos). Nesse prisma não existe um inimigo pior para o Rei Pantera Negra do que o próprio povo. Sim, Wakanda está passando por uma espécie de revolução, e cabe a T´Challa tentar corrigir isso. Personagens importantes nessa trama como Aneka, Tetu, o sábio Changamire e os amigos de T´Challa se envolvem em dois lados da moeda, os que querem promover uma revolução no país e os que querem continuar ao lado do Pantera Negra. E o povo nessa crise, como reagirá? Talvez o Pantera Negra nunca tenha sido tão bem explorado como nessa história, que é apenas a primeira parte da saga (ANSIOSO PARA A SEGUNDA). Outro fator fundamental nessa trama é o país Wakanda, que segundo o artista Brian Stelfreeze é uma espécie de personagem na história.

Após quatro partes temos uma história extra, Fantastic Four #52 de 1966 em que mostra a primeira aparição do Pantera Negra. História criada por dois monstros sagrados, Stan Lee e Jackie Kirby. Aliás, se formos pegar as edições do Quarteto Fantástico veremos a importância histórica que esse grupo representa para Marvel pois além de ser a primeira equipe da editora, foram nas páginas do Quarteto que foram inseridos grandes personagens do universo da casa das idéias, tais como o próprio Pantera Negra, Inumanos e Doutor Destino. Infelizmente hoje vemos o descaso da editora com o grupo, tudo por causa de birras com estúdios.

Percebi talvez uma iniciativa teste da Panini, pois sabemos que os títulos são publicados no Brasil por volta de um ano depois dos EUA, essas publicações saem primeiro nas revistas mensais e só depois de um bom tempo saem as versões encadernadas dessas histórias, mas dessa vez, a Panini publicou essa história direto na versão encadernada, o que é muito interessante, seria isso uma espécie de teste da editora?

Pantera Negra- Uma Nação Sob Nossos Pés, Livro Um, contém 148 páginas e reúne as edições 1 a 4 de Black Panther mais a edição Fantastic Four 52. É escrita pelo premiado Ta-Nehisi Coates, pelo desenhista Brian Stelfreeze e pela colorista Laura Martin.

Nota: 9

Apaixonado por hqs dos anos 70 e 80, e acredita piamente que homem aranha e x-men voltarão a ser quadrinhos de ponta...
  • Majin Boo Sidekick do Aranha

    Para mim foi a decepção do ano, faltou experiência ao roteirista para equilibrar a história que tem um teor político bem chatinho.

    • arthur vergian

      majin boo, se não curtiu cara? achei esse lance político bem sutil, mas entendo sua opinião, me lembro de ler o demolidor diabo da guarda e perceber que o kevin smith não tinha tanta experiência para escrever hqs.