Menu

[Crítica] Valerian e a Decepção Dos Mil Planetas

Valerian, um clássico dos quadrinhos Franco-Belgas, recentemente adaptado às telonas graças ao cineasta Luc Besson(Lucy, 5º Elemento…). Esse filme, que ajudou a impulsionar as vendas da HQ no Brasil, veio com um hype muito alto, porém não comete erros bobos que desmerecem a obra. O enredo principal é simples, deter uma grande ameaça que se encontra no centro de um conglomerado de estações espaciais, formada por mais de mil raças diferentes. O enredo possui tudo que um bom filme pipoca precisa como muitas cenas de ação, um complô secreto e um casal. O problema é que todos os itens citados são falhos e mal executados.

Laureline e Valerian são apresentados como se houvesse uma tensão sexual entre eles, porém essa situação é tão forçada e mal executada que são as cenas mais chatas do filme, simplesmente não há química alguma entre os dois, e a insistência em forçar essa barra empobreceu o filme. Visual do filme é muito bonito e nalguns pontos deslumbrantes, mas o 3D deixa bastante a desejar.

Os protagonistas são muito contraditórios em suas ações, num momento pouco se importam com várias pessoas que morrem literalmente ao seu lado. Noutro momento, no entanto, estão super preocupados com uma raça de um planeta que eles nunca ouviram falar. A falta de senso de realidade também incomoda bastante, em situações que que, teoricamente, Valerian e Laureline estão correndo grande risco, eles aparentemente não se abalam, não se envolvem, não nada. Soa como se eles nem estivessem enxergando nada do que acontece ao seu redor.

Para não dizer que o filme é apenas uma sucessão de defeitos, houveram boas coisas, gostaria de reiterar a questão visual que ficou muito bonita principalmente ao retratar outras raças. Personagens, como o da Rihanna e os três “gárgulas”, ficaram sensacionais, porém poderiam ser melhor aproveitados e não apenas descartados de forma ridícula como ocorreu com o personagem da Rihanna. As cenas de humor ficaram realmente engraçadas, esses são os pontos fortes.

Por fim, o filme soa como algo facilmente esquecível, não é ousado e muito menos cativante. Luc Besson perdeu uma ótima oportunidade de criar uma franquia de filmes de alta qualidade. Quem sabe numa continuação, se houver, as coisas melhorem.

Nota 5

@Wholisses - Canto, danço, interpreto, mimicas, festas de debutantes, cosplay do Vin Diesel pobre, fã da feira da fruta, possuidor de vários títulos e prêmios do plano mental entregues por lá mesmo e colaborador do site Central HQs, com muito orgulho.