Menu

Coleção Definitiva Homem-Aranha: Com Grandes Poderes…

Tio Ben.. .a maior essência e inspiração de Peter Parker. Toda a filosofia por trás da frase: “com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades” existe por causa dessa figura icônica, lendária e quase divina na cronologia do Aranha. Confesso que até hoje quando leio flashbacks sobre o velhinho que criou Peter, uma emoção toma conta de mim, me deixando tão tocado que parece que se trata de uma pessoa real e que eu acabei perdendo nesta vida. Mas, de certa forma, tanto tio Ben quanto Peter Parker são pessoas reais, sim, pois o Homem-Aranha, arrisco dizer que foi um dos maiores moldadores de caráter da história. Ele ajudou com seu heroísmo, bondade e senso de responsabilidade, a nos ensinar como ser um ser humano melhor num mundo cada vez mais tomado pela maldade e corrupção.


Procure em toda sua coleção do teioso, talvez você nunca encontre uma HQ que mostre tantas vezes o tio Ben e mais que isso, que mostre toda a sua essência. Stan Lee, junto com Steve Ditko, são dois dos maiores gênios que já passaram pela indústria dos quadrinhos, porém eles não tinham algo importantíssimo que nós temos hoje, o tempo de narrativa e edições para desenvolverem um arco de histórias. Pelo contrário, esses homens tinham que fazer uma história fechada com cerca de vinte páginas. Em Amazing Fantasy #15 que foi a primeira aparição do Aranha e que mostra a morte do tio Ben, Stan e Ditko tiveram apenas onze páginas para desenvolver toda a origem do Homem-Aranha!!! Isso tudo só reforça o tamanho desses caras e demonstra que a genialidade de Stan Lee e Dtiko é de fato “espetacular”. 

David Lapham (escritor) e Tony Harris (desenhista) tiveram mais sorte que Lee e Ditko, eles tiveram cinco edições para contar essa história que a Salvat nos brinda esse mês. Os dois nos mostram os acontecimentos que sucederam entre o período que Peter foi picado por uma Aranha irradiada, mas continuam mostrando todo o período que antecedeu o grande marco na vida de Peter, ou seja, a morte de tio Ben. Sim, essa HQ mostra um Peter já com poderes, mas que ainda não era um herói.

O mais interessante dessa série (E QUE JÁ VALE SUA IDA ATÉ A BANCA) é que essa talvez seja a história que mais nos mostra o relacionamento de Peter com seu tio, nos mostrando que a frase que tanto marcou a vida de Peter realmente mexeu com ele por uma razão, tio Ben realmente era um homem influente e muito amoroso.

A forma com que Lapham conta a história é repleta de bom humor, mas também com duros choques de realidade. Um Peter que sofria demais por ser um garoto introvertido e muitas vezes maltratado pelos valentões do colégio. A vida simples do subúrbio, o fato de ter sido criado pelos tios idosos e não ter seus pais consigo. Tudo isso nos faz ver um Peter muito triste e muitas vezes derrotista.


Imagine agora um jovem com tantos poderes e limitações como Peter, descobrindo ser um garoto especial, que pode fazer coisas que nenhum de seus companheiros possa. Tudo isso graças a uma aranha intrometida que estava no lugar e hora errada e que acabou picando um jovem nerd. O resultado nós já sabemos: sentido de aranha, que na história Peter tem a sensação de uma abelha zumbindo em sua cabeça, super-força, capacidade de aderir nas paredes e tudo mais que um Homem-Aranha tem direito.

É totalmente aceitável que um garoto assim fosse agir de forma imatura e pensar em faturar grana com suas fantásticas habilidades. Com Peter entrando para o mundo da luta livre, se ausentando cada vez mais de casa e do colégio, faz com que seu tio Ben fique cada vez mais preocupado. Sua tia May, por outro lado, sempre é mostrada mimando mais o sobrinho querido e tentando apaziguar as relações no lar.


O escritor ainda vai mais fundo nesse mundo da luta, mostrando toda uma rede de negócios e homens corruptos querendo ganhar destaque em cima do curioso Homem-Aranha. Interessante ver o comportamento de Peter em meio a tudo isso, um garoto preocupado apenas em ganhar dinheiro e agindo de forma irresponsável e sem culpa.

A arte de Tony Harris combina demais com os roteiros, com um visual bem característico de um universo adolescente, e claro, deixando uma homenagem aos desenhos dos anos 60.

Peter Parker muitas vezes está mais preocupado em ser notado pela colega Liz Allen do que explorar seus poderes, embora essa questão seja muito bem explorada, mostrando Peter descobrindo suas habilidades pouco a pouco, inclusive inventando seu famoso fluido de teia. A presença de uma linda mulher mais velha chamada Tiffany Lebeck juntamente com um empresário casca-grossa, mostra toda a sordidez de pessoas que só querem usar um imaturo jovem especial.


A vida de Peter vai ficando cada vez mais enrolada, tio Ben sempre é mostrado como forma de equilíbrio e ensinamento para o garoto. Numa passagem é mostrado o Quarteto Fantástico lutando um pouco a frente de onde Peter e Ben Parker estão (revivendo uma das primeiras aventuras dos 4 Fantásticos).

J.J Jameson também é inserido de forma muito interessante na história, quadro a quadro e pouco a pouco podemos sentir o caráter de Peter Parker sendo moldado. As cinco partes passam de forma muito rápidas, transformando o material bem agradável de ser lido. Apesar de não ser um material excelente, eu considero indispensável para um apaixonado pelas histórias do Aranha, pois nessa série podemos entender o porque Peter leva tão a sério a frase “com grandes poderes, vem grandes responsabilidades”.

Existem outros materiais que contam esse inicio de trajetória de Peter, um deles é Homem-Aranha Ano Um, de Kurt Busiek e Paul Lee (lançado em três partes pela editora Abril). Outra história muito interessante é a série Arquivos Secretos do Homem-Aranha (lançado na época dos formatinhos da editora Abril) também de Kurt Busiek, apesar de ter tido outros nomes de peso. Esses dois materiais podem ser lançados tranquilamente pela Salvat, pois serão um deleite para nós fãs do Aracnídeo.


Um pequeno detalhe, Tony Harris com toda certeza baseou o visual do tio Ben em Stan Lee, confiram e tirem suas dúvidas se não parece… esse toque de mestre na arte é daquele tipo de coisa que faz uma singela lágrima correr pelo rosto.


Nota: 9.

Apaixonado por hqs dos anos 70 e 80, e acredita piamente que homem aranha e x-men voltarão a ser quadrinhos de ponta...
  • Ogradorindorium Fricotimur

    doidera

    • arthur vergian

      🙂